Patrimônio | Sobre o Oscar Niemeyer

OSCAR NIEMEYER 

Oscar Niemeyer (1907-2012) foi um arquiteto brasileiro, responsável pelo planejamento arquitetônico de vários edifícios públicos de Brasília, a capital do Brasil. É um dos maiores representantes da arquitetura moderna mundial, com mais de 600 obras pelo mundo, incluindo o Brasil e, claro, todo o Parque Ibirapuera. Para conhecer, em detalhes, todas as construções do arquiteto no parque como: a Oca, o Auditório Ibirapuera, a Bienal, o Museu Afro Brasil, entre tantos outros, clique aqui.
 
 As principais características do seu trabalho são o uso do concreto, vidro, curvas e vãos livres, com seu estilo inconfundível. Nascido no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, no dia 15 de dezembro de 1907, diplomou-se arquiteto pela Escola Nacional de Belas Artes em 1934. Iniciou sua carreira no escritório de Lúcio Costa. Sua obra, juntamente com a de Lúcio Costa, representa a mais alta expressão da moderna arquitetura brasileira. Niemeyer recebeu influências do arquiteto suíço Le Corbusier, mas a originalidade de seus projetos reside na integração da arquitetura moderna com elementos da arte colonial brasileira, incluindo o uso decorativo de azulejos. 
 
Niemeyer fez vários trabalhos no exterior, em países como o Líbano, Portugal, França, Itália, Inglaterra e Argélia. Com o golpe militar de 1964 teve suspensa a publicação da revista Módulo, que fundara em 1955. Em 1967 exilou-se em Paris, onde projetou a sede do Partido Comunista Francês (1971). De volta ao Brasil, foi escolhido para projetar o Sambódromo, no Rio, durante a gestão do governador Leonel Brizola (1983-1987). Seus últimos trabalhos mais significativos foram o Memorial JK em Brasília (1987), o Parlamento da América Latina em São Paulo (1991), e o Museu de Arte Contemporânea em Niterói (1991).

Ao longo de sua carreira foi agraciado com numerosos prêmios e condecorações, e sua obra foi retratada em dezenas de livros e exposições no Brasil e no exterior. Publicou Minha experiência em Brasília (1961), com edições em Moscou, Roma e Paris; Oscar Niemeyer (1986); Lições de arquitetura (1993); e As curvas do tempo (1998).